Sabores do Tuela

Enchidos Porco Bísaro

Dona Elisa Augusta fez o seu primeiro enchido aos 12 anos. Hoje tem 88, a sua própria vara de porcos bísaros, mas ainda domina a arte como muito poucos. 

Quinta de Riassós S/N
Rua de São Francisco 29
5320-319 Vinhais
Como chegar
+351 939 448 684

Apresentado por
António Gonçalves, G Pousada


Texto de Tiago Pais
Fotografias de Tiago Pais

Dona Elisa Augusta fez o seu primeiro enchido aos 12 anos. Hoje tem 88, a sua própria vara de porcos bísaros, mas ainda domina a arte como muito poucos. O seu primeiro mandamento: fazer tal e qual como aprendeu na infância: “Faço tudo à mão, à moda antiga. Nunca medi nada.” A esse propósito conta uma história, no mínimo, curiosa. “Há uns tempos disseram-me que a receita correta é 14 gramas de sal por quilo de carne. Eu punha uma mão de sal. Sempre pus. Por curiosidade pedi ao meu genro para pesar essa mão de sal. Sabe quanto pesava? 14 gramas.” O genro de que fala é Albino Talhas, que só não trata os porcos por tu porque eles, apesar de muito especiais, ainda não falam.  É ele que anda pelos currais e pelo campo a certificar-se que comem o que devem: erva, cevada, abóbora, beterraba, milho, batata, castanha, noz. “Quando vêm para fora [por volta dos 5,6 meses], é o que eles apanharem”, diz. Bem alimentados podem chegar aos 250 quilos. “Não há porco como o bísaro”, garante. A sogra, sentada ao lado, acena com a cabeça em jeito de confirmação. Ela sabe.